PRÊMIO ZÓZIMO BULBUL

Reconhecendo a importância da trajetória cinematográfica do principal nome do movimento de cinema negro no Brasil, o Prêmio Zózimo Bulbul, que estreia na 51ª edição do Festival, tem como horizonte dois elementos: o corpo negro na frente e por trás das câmeras; e a inovação estética e narrativa na abordagem das subjetividades negras. O prêmio é concedido em parceria e a partir de um júri escolhido pela APAN – Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro e do Centro Afrocarioca de Cinema.


BIZA VIANA

Cenógrafa e fi gurinista premiada, é cofundadora e atual Diretora-Executiva e Artística do Centro Afrocarioca de Cinema e do Encontro de Cinema Negro-Brasil, África e Caribe, junto a Zózimo Bulbul, nos quais busca a valorização da cultura preta no país, através de suas atividades no teatro e no cinema. Foi diretora de arte e coordenadora geral de projetos artísticos e de preservação de memória para instituições como Fundação Cultural Palmares, Iphan, Casa Oswaldo Cruz, Museu Histórico Nacional, Prefeitura do Rio, entre outros.


CARMEN LUZ

Nasceu e vive no Rio de Janeiro. Atua, profi ssionalmente, nos campos da refl exão, ensino e realização audiovisual, da criação e direção de espetáculos de teatro e dança. Pesquisa os afrodescendentes e suas manifestações culturais, políticas e artísticas, tornando-os o principal foco temático de sua produção artística. É mestre em Arte e Cultura Contemporânea pela UERJ. Leciona História do Cinema Brasileiro e Mundial na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Seus fi lmes foram exibidos em mostras e eventos na África, Brasil, Alemanha e EUA. Escreveu e dirigiu o longa-metragem Um filme de dança. Trabalha, atualmente, no desenvolvimento de seu segundo fi lme documentário de longa-metragem.


EDILEUZA PENHA DE SOUZA

Professora, historiadora, mestre em Educação e Contemporaneidade, doutora em Educação e Comunicação pela Universidade de Brasília, onde leciona as disciplinas Pensamento Negro Contemporâneo e Etnologia Visual da Imagem do Negro no Cinema. Pesquisadora e documentarista, foi estudante na Escuela Internacional de Cine y TV de San Antonio de los Banõs – Cuba. Diretora, realizadora e curadora. Organizou a coleção Negritude Cinema e Educação – Caminhos para implementação da lei 10.639/2003. Atualmente, compõe a curadoria do Festival de Cinema do Paranoá e o júri do Porto Femme – Festival Internacional de Cinema. É a idealizadora e coordenadora da 1ª Mostra Competitiva de Cineastas e Produtoras Negras Adélia Sampaio.


JANAÍNA OLIVEIRA

Pesquisadora e curadora, é doutora em História, professora no IFRJ (Instituto Federal do Rio de Janeiro) e Fulbright Scholar no Centro de Estudos Africanos na Universidade de Howard, em Washington DC nos EUA. Realiza pesquisas sobre cinema negro, no Brasil e na diáspora, e também sobre as cinematografi as africanas. É curadora do Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul (RJ) e do FINCAR (Festival Internacional de Realizadoras/PE), além de integrar comissões de seleção de festivais e mostras no país. Faz parte da APAN (Associação dos Profi ssionais do Audiovisual Negro). Uma das idealizadoras e coordenadoras do FICINE (Fórum Itinerante de Cinema Negro).


Viviane Ferreira

BA

 

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (FAC) - Universidade de Brasília (UnB), estuda políticas do audiovisual com recorte de gênero e raça. Bacharel em direito pela Universidade Paulista. Formada em Cinema Digital pela Escola de Cinema de São Paulo, é especialista em direção e atuação para cinema pelo Instituto Stanislavsky. Diretora de criação da Odun Formação & Produção; é presidente da Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro (APAN); diretora e roteirista dos filmes: “Dê sua ideia, debata”, “Mumbi7Cenas Pós Burkina”, “Peregrinação: partindo de nós próprios para chegarmos à nós mesmos” e “O dia de Jerusa”.