Festival de Brasília traz duas Mostras Especiais: Futuro Brasil ganha segunda edição e Caleidoscópio estreia

 

 

 

 

DESTAQUE

Festival de Brasília traz duas Mostras Especiais: Futuro Brasil ganha segunda edição e Caleidoscópio estreia

 

FOTOS NO LINK: https://goo.gl/PHfjrS

 

Buscando sempre atualizar sua programação de forma a atender às circunstâncias contemporâneas mundiais de produção e circulação dos filmes, no intuito de encontrar as melhores formas de fazer com que o cinema brasileiro chegue a seu público, tanto no Brasil quanto no exterior, o Festival de Brasília realiza nessa 51ª edição pela segunda vez a mostra Futuro Brasil, pioneira ação voltada para filmes brasileiros em processo de finalização; e lança uma nova iniciativa: a Caleidoscópio.

 

Destaque ao estrear na programação do 50o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, a Futuro Brasil ganha segunda edição em 2018, entre 18 e 20 de setembro. Uma vitrine de obras vindouras do cinema nacional, a atividade seleciona longas-metragens em fase de pós-produção, que serão assistidos por profissionais – consultores especializados em montagem, som, finalização e estratégias de distribuição, que depois conversam com os realizadores sugerindo possíveis caminhos para sua finalização.

 

Para além do contato com esses profissionais, nesse ano esta seção especial contará novamente com a presença de importantes curadores e programadores de outros festivais nacionais e internacionais.  Dessa forma, os realizadores dos filmes têm a oportunidade de ampliar sua rede de contatos e entendimento sobre o estágio de realização de suas obras, com vistas ao aprimoramento estético e estratégico de seus projetos. Todas as sessões dessa mostra são realizadas a portas fechadas no intuito de preservar o ineditismo das obras, ainda não finalizadas.

 

Para chegar aos seis filmes que compõem a Futuro Brasil em 2018, foram avaliadas 46 inscrições e selecionadas as seguintes obras em fase de finalização: “A Rosa azul de Novalis”, de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro (documentário, SP); “Eleições”, de Alice Riff (documentário, SP); “Ontem havia coisas estranhas no céu”, de Bruno Risas (ficção, SP); “Raia 4”, de Emiliano Cunha (ficção, RS); Rua Guaicurus, de João Borges (ficção, MG); e “Tremor Iê”, de Elena Meireilles e Lívia de Paiva (ficção, CE). A comissão de seleção das obras foi composta pelo diretor artístico do festival, Eduardo Valente, e pelo consultor em audiovisual Eduardo Raccah.

 

Novidade no programa é a criação da seção especial Caleidoscópio, uma mostra que tenta ampliar o espaço de contato do público do Festival com novos filmes brasileiros, todos fazendo sua estreia no país. Embora uma das marcas do Festival de Brasília seja uma constante busca pelas expressões mais criativas do cinema brasileiro, frente ao aumento do número de filmes produzidos no país, o espaço das mostras competitivas não se mostra grande o suficiente para a quantidade de obras dotadas de particular inventividade que se inscrevem para o evento. Assim, a Caleidoscópio surge como um complemento da programação que busca colocar em evidência o mais instigante dentro da tradição que alguém como o escritor e cineasta Jairo Ferreira chamava de “cinema de invenção”.

 

Assim como no caso da Futuro Brasil, a seção Caleidoscópio terá a presença de curadores e programadores de festivais internacionais compondo um júri. Nos dois casos, os júris escolherão um único filme como destaque principal das mostras. Entre os festivais que terão representantes nos júris das duas mostras estão a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, a mostra Forum do Festival de Berlim e o Festival de Roterdã, três das principais vitrines mundiais do cinema independente autoral.

 

Nessa sua primeira edição, a seção exibirá dois filmes que terão sua primeira exibição no Brasil após estrearem mundialmente em importantes festivais internacionais: “Inferninho”, de Guto Parente e Pedro Diogenes (CE); e “O Pequeno Mal”, de Lucas Camargo de Barros e Nicolas Thomé Zetune (SP). Os outros três participantes realizam no Festival de Brasília a sua estreia mundial: “Os Sonâmbulos”, de Tiago Mata Machado (MG); “Os Jovens Baumann”, de Bruna Carvalho Almeida (SP); e “Calypso”, de Rodrigo Lima e Lucas Parente (RJ).

 

 

Caleidoscópio

 

Calypso

Direção: Rodrigo Lima e Lucas Parente

Ficção, 61 min, 2018, RJ, 14 anos

Elenco: Julia Gorman, Walter Reis, Luz del Fuego

 

Calypso e Ulisses vivem o exílio de um mundo em colapso.

 

 

Inferninho

Direção: Guto Parente e Pedro Diogenes

Ficção, 82 min, 2018, CE 12 anos

Elenco: Samya de Lavor, Yuri Yamamoto, Tatiana Amorim, Demich Lopes

 

Deusimar é a dona do Inferninho, bar que é um refúgio de sonhos e fantasias. Ela sonha em deixar tudo para trás e ir embora, pra um lugar distante. Jarbas, o marinheiro que acabara de chegar, sonha em ancorar, fincar raízes. O amor que nasce entre os dois vai transformar por completo o cotidiano do bar e a vida dos seus funcionários: Luizianne, a cantora; Coelho, o garçom; e Caixa-Preta, a faxineira.

 

 

O Pequeno Mal

Direção: Lucas Camargo de Barros e Nicolas Thomé Zetune

Ficção, 70 min, 2018, SP, 16 anos

Elenco: Janaina Afhson, João Paulo Bienamman, Laura Coggiola, Juliana Galdino, Frann Ferrareto, Carlos Morelli, Bruno Ribeiro, Gustavo Casabona, Luiz Felipe Lucas, Silvio Restiffe

 

Os traumas e medos de Janaína e João habitam seus corpos e atravessam suas vidas fazendo emergir patologias e afetos. Unidos, tentam se proteger de um mal que parece se espalhar como uma febre.

 

 

Os Jovens Baumann

Direção: Bruna Carvalho Almeida

Ficção, 70 min, 2018, SP, 14 anos

Elenco: Isabela Mariotto, Julia Burnier, Julia Moretti, Marília Fabbro, Anna Santos, Cainã Vidor, Daniel Mazzarolo, Eduardo Azevedo, Julio Barga

 

1992. Os Jovens Baumann, últimos herdeiros de uma prestigiosa família de Santa Rita d’Oeste, sul de Minas Gerais, desapareceram sem deixar vestígios. 2017. Uma caixa com fitas VHS é encontrada, contendo registros caseiros de seus últimos momentos, durante suas férias na fazenda da família. Através da compilação desses arquivos familiares, o filme reorganiza os fragmentos de um mistério até hoje sem solução.

 

 

Os Sonâmbulos

Direção: Tiago Mata Machado

Ficção, 110 min, 2018, MG, verifique classificação indicativa

Elenco: Clara Chouveaux, Rômulo Braga, Camila Moreno, Carolina Castanho, Elba Rocha, Gláucia Vendeveld, Lira Ribas, Margareth Serra, Marina Viana, Cristiano Peixoto, Francis Vogner dos Reis, Lenine Martins, Ney Piacentini, Paulo César Bicalho, Paulo Rocha, Renan Rovida

 

Era um pequeno grupo de demolidores de mundo. Perdidos na multidão, mas ligados uns aos outros, viviam na solidão da clandestinidade, às voltas com suas contradições: amavam a vida humana, mas desprezavam a própria vida. Estavam prontos ao sacrifício. Niilismo, melancolia, traição, desespero: consciências trágicas em uma longa viagem ao fim da noite. Um conto de amor e de morte (Eros e Tanatos), em um mundo em que o estado-de-exceção veio a se tornar regra e os últimos dias da humanidade não terminam nunca.

 

 

Futuro Brasil

 

A Rosa azul de Novalis

Direção: Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro

Documentário, SP, em finalização

 

Marcelo, um dândi de cerca de 40 anos, possui uma memória inigualável. Revive lembranças familiares em sua cabeça e tem recordações de suas vidas passadas. Em uma delas, foi Novalis, poeta alemão que perseguia uma rosa azul. E nessa vida atual, o que Marcelo persegue?

 

Eleições

Direção: Alice Riff

Documentário, SP, em finalização

Eleições acompanha a eleição de grêmio estudantil do ensino médio da Escola Estadual Doutor Alarico da Silveira, no centro de São Paulo.

Ontem havia coisas estranhas no céu
Direção: Bruno Risas
Ficção, SP, em finalização

Meu pai ficou desempregado. A família toda precisou voltar à velha casa na Bresser, um pequeno bairro de São Paulo. Minha mãe procura saídas mas não sabe o que fazer. Minha irmã conseguiu um emprego, mas paga pouco. Minha avó está ficando demente. As cachorras latem. Eles ficam o dia todo em casa, brigam muito. Enquanto isso eu os filmo. Um estranho objeto no céu abduz minha mãe. Nossa vida continua como se nada tivesse acontecido. Certo dia, ela volta e nos diz: não há nada interessante lá fora.

Raia 4

Direção: Emiliano Cunha

Ficção, RS, em finalização

Amanda é uma atleta de natação de 12 anos de idade. Silenciosa e reservada, Amanda encontra segurança em seu próprio mundo: debaixo da água, onde os segredos não podem ser ouvidos. Sem a atenção de seus pais, ela passa a maior parte do tempo na piscina, treinando e tentando ter sucesso na única atividade que ela realmente ama. Priscila, uma espetacular nadadora, torna-se sua adversária - não só na piscina, mas também na vida.

Rua Guaicurus

Direção: João Borges

Ficção, MG, em finalização

A Rua Guaicurus é uma das maiores zonas de prostituição do Brasil, localizada no centro da cidade de Belo Horizonte, desde os anos 50. Atualmente funcionam mais de 25 hotéis na região, com aproximadamente três mil trabalhadoras do sexo. O filme vai revelar este enorme complexo de prostituição por meio de situações que eclodem das relações entre suas personagens.

Tremor Iê

Direção: Elena Meireilles e Lívia de Paiva

Ficção, CE, em finalização

 

Presa numa manifestação popular de 2013, Janaína consegue escapar anos depois. Em sua ausência, um golpe político instaurou-se no país. Na periferia de Fortaleza, as nuances violentas de um governo antidemocrático camuflado por palavras de paz e fé são vivenciadas cotidianamente por sua amiga Cássia. Carregando marcas de violências sofridas na mão da polícia, elas agora encaram uma nova corporação, que camufla os mesmos atos de opressão. O reencontro permite que algumas histórias sejam contadas e que sua música, companheira fiel e arma em sua luta, reganhe força. Suas palavras e seus tambores falam de resistência e persistem em irromper o silêncio imposto. Junto a outras mulheres, elas sequestram o cadáver do ex-ditador Marechal Castelo Branco, como moeda de troca para a libertação de outras presas políticas.

 

 

Serviço

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – 51ª edição

Quando: 14 a 23 de setembro de 2018

Confira a programação completa no site: http://www.festivaldebrasilia.com.br/

 

Contatos para a Imprensa

Um Nome Produção e Comunicação

umnomecomunicacao@gmail.com

Guilherme Tavares + 55 61 992185001

Amanda Bittar + 55 61 99553-0353

Beatriz Queiroz + 55 61 98170-4254

Imprensa: NOtícias

14

ago, 2018

Ambiente de Mercado do Festival de Brasília inicia vendas de passaportes para realizadores audiovisuais de todo Brasil

14

ago, 2018

Festival de Filmes Curta-Metragem das Escolas Públicas de Brasília

09

ago, 2018

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro chega à 51ª edição apresentando mais de 120 títulos do novo cinema nacional

09

ago, 2018

Festival de Brasília terá três Mostras Paralelas não-competitivas na sua 51ª edição