Público lota o último dia da Mostra Competitiva

Programação de sábado contou com lançamentos de livro e DVD, atividades multiculturais e formativas

 

No penúltimo dia do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e último de exibição das produções da Mostra Competitiva, o público compareceu ao Cine Brasília e às sedes em Taguatinga, Gama, Sobradinho e Riacho Fundo I para conferir o curta e o longa-metragem. Os dois filmes tratam de relações entre pessoas que descobrem umas às outras. A programação contou ainda com a presença de DJs e bandas para embalar o sábado no Cine e nas Regiões Administrativas.

 

A noite começou com dois lançamentos no Cine Brasília. A publicação “Brazilla”, com organização de Raimundo Lima Neto, reúne roteiros de cineastas brasilienses para jovens quadrinistas da cidade, responsáveis por transportar as histórias para o mundo das HQs. Os  cinco roteiros originais apresentados exploram amor, terror e ficção científica. Os textos são de Marcus Ligocki, Rene Sampaio, Bruna Spínola, Cibele Amaral, Johil Carvalho, Fred Braga, Santiago Dellape e Davi Mattos. Os quadrinhos foram ilustrados por Frederico Escorsin, Zelito Rodrigues, Morgana Boeschenstein, Zakuro Ayoama e Flávia Lima.

 

Neto Borges também lançou o DVD do filme “Sob o signo da poesia” (2013, 70 min, Olho Filmes). A produção conta a história de movimentos culturais pela ocupação dos espaços públicos, como o Concerto Cabeças, e conta com a participação especial de Zeca Baleiro e Reynaldo Jardim, Nicolas Behr, TT Catalão, Maria Maia e Renato Matos. Neto Borges é formado em História pela Universidade Federal do Maranhão. Possui mestrado e doutorado em Cinema antropológico e documentário pela Univesidade Nanterre la Défense, em Paris.

 

O curta “A Passagem do Cometa” (2017, 19min, SP, 12 anos), de Juliana Rojas, é ambientado na sala de espera de clínica de abortos clandestina. A recepcionista, paciente e acompanhante aguardam a passagem do cometa Halley, enquanto a médica enfrenta dificuldades com um procedimento. A diretora não pôde comparecer, mas a equipe leu breve texto de Rojas para a plateia. A cineasta agradeceu o Festival e dedicou a produção às sobrinhas: “Que se tornem mulheres em um mundo que as trate com igualdade e respeito”.

 

Como roteirista, diretora e montadora, Juliana Rojas participou de filmes exibidos e premiados no Brasil e no exterior, como o longa “Sinfonia da Necrópole” – Melhor Filme – Gramado 2014 e Prêmio FIPRESCI – Festival Mar Del Plata, Argentina. Codirigiu, com Marcos Dutra, os longas “Trabalhar cansa” – Seleção Oficial Un Certain Regard – Cannes 2011, e “As boas maneiras” – Prêmio Especial do Júri – Locarno 2017. Também realiza consultorias e cursos de roteiro.

 

Já o longa “Arábia” (2017, 96min, MG, Livre) retrata André, um jovem morador da Vila Operária, bairro vizinho a uma velha fábrica de alumínio, em Ouro Preto, que um dia encontra o caderno de um dos operários da fábrica. Com essa premissa, os diretores Affonso Uchoa e João Dumans retratam o cotidiano dos brasileiros.

 

No palco o Cine Brasília, neste sábado, Dumans agradeceu o elenco, que segundo ele, “ensinou muito durante todo o processo de gravação”. Affonso Uchoa finalizou e dedicou o filme aos trabalhadores do Brasil. Uchoa é diretor e roteirista, tendo dirigido o premiado longa-metragem “A vizinhança do tigre” (2014), considerado por diversos críticos um dos melhores filmes brasileiros em seu ano de lançamento.

 

Patrocínio

A 50ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro conta com os seguintes patrocinadores: NET, Claro, Petrobras, BRB, BNDES e Sabin.

 

Serviço

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – 50ª edição

Quando: 15 a 24 de setembro de 2017

Programação completa: http://www.festivaldebrasilia.com.br/

Fotos: https://www.flickr.com/photos/152011896@N03/albums

Fale conosco

Ente em contato com o festival.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?