Oficinas

Oficina: LAB Intensivo de Séries de TV

De 15 a 19 de setembro, das 14h às 18h, na Faculdades ICESP (QE 11, Área Especial 1 – Guará 1)

 

Inspirada nos moldes dos laboratórios realizados pelo Sundance Institute, da Universidade de Columbia (Estados Unidos) e da Fundación Carolina (Espanha), a oficina tem como objetivo o desenvolvimento de seriados. A dinâmica envolve três frentes de ação: o trabalho individual de cada participante (extraclasse), a consultoria do palestrante para cada projeto e a colaboração criativa dos colegas em classe, segundo o modelo “writers room”. Nas aulas serão abordados diferentes modelos, formatos, temas e durações de séries, técnicas de decupagem, relações entre personagens, entre outros tópicos. Ao final, os autores terão um documento apto para apresentação em mercados como Rio Content, Editais do FSA, e canais de TV a cabo.

 

Aleksei Abib

Roteirista, consultor de roteiro e diretor. Entre seus principais trabalhos estão os roteiros de A Via Láctea (46e. Semaine Internationale de la Critique, Festival de Cinema de Cannes), do documentário O último kwarup branco (menção honrosa no DOCSDF – Festival Internacional de Documentários da Cidade do México) e da novela Água na boca, da Band. Atualmente é um dos professores convidados das oficinas de roteiro da EICTV, Escuela Internacional de San Antonio de los Banos, em Havana, Cuba.

Oficina: A Criança no Set

De 20 a 24 de setembro, das 14h às 18h, no IESB (613 Sul)

 

O objetivo é analisar projetos audiovisuais que envolvam crianças no elenco, desde o casting até as filmagens, e pensar o set como um ambiente de transformação para as crianças. A oficina é direcionada para realizadores, preparadores de elenco e atores que queiram trabalhar na área.

 

Fernanda Rocha

Atriz, roteirista, diretora e preparadora de elenco, Fernanda Rocha foi premiada em festivais como o Rencontres Du Cinema Sud-Americain de Marseille (França), Festival de Gramado e Festival Internacional do Rio. É especializada em preparação de elenco infanto-juvenil, tendo executado a função em mais 25 filmes entre longas e curtas-metragens. Dirigiu a peça Os estonianos e o curta-metragem Doce de goiabada (menção honrosa no Festival de Cinema de Triunfo). Atuou em longas-metragens como Separações (2002), O fim e os meios (2014) e O último cine drive-in (2015).

Oficina: Interpretação para cinema

De 15 a 19 de setembro, das 14h às 18h, na UnB – Departamento de Artes Cênicas

 

Atores, roteiristas e realizadores podem participar da oficina que propõe uma reflexão sobre a função do ator/atriz nos filmes e o conceito de personagem. A ideia é também estabelecer um diálogo artístico entre direção e elenco durante o processo de casting, pré-produção e filmagem.

 

Amanda Gabriel

Atua há mais de uma década como preparadora e produtora de elenco e trabalhou em filmes como Aquarius (2016), A cidade onde envelheço (2016), O delírio é a redenção dos aflitos (2016), Para minha amada morta (2015), O último cine drive-in (2014), Amor, plástico e barulho (2013), O som ao redor (2012), Eles voltam (2012) e Muro (2008).

Oficina: Direção de Arte

De 15 a 19 de setembro, das 14h às 18h, no Espaço Cultural Invenção Brasileira

(QSB 12/13, Bloco B, Loja 5 – Área Especial para Mercado Sul –Taguatinga)

 

A oficina visa aproximar os participantes do universo da direção de arte na produção audiovisual usando exemplos de trabalhos, observação e reflexão sobre o processo criativo, além do exercício prático. Os alunos criarão um projeto de direção de arte e caracterização a partir de músicas ou situações dramáticas sugeridas em aula.

 

Monica Palazzo

Diretora de arte de cinema e séries para TV, tem entre seus principais trabalhos os longas-metragens Para a minha amada morta (2015), Oração do amor selvagem (2015), Eu te levo (2016), O Diabo mora aqui (2015), Rio Cigano (2013), Cores (2012) e Sonhos de peixe (2006). Foi premiada no Festival de Brasília, Festival de Cinema da Fronteira, CinePE, Fest Cine Brasileiro de Miami, FAM, entre outros. Dirigiu os curtas Páginas de menina (2008) e Trilogia: 1718, 1972 e 2009 e o inédito Mãe do ouro (2009).

Oficina: Infortúnios e virtudes do roteiro - Possíveis processos criativos

De 20 a 24 de setembro, das 14h às 18h, no Sesc Ceilândia (QNN 27, Área Especial – Ceilândia Norte)

 

A oficina teórica é voltada para pessoas com alguma experiência no desenvolvimento de narrativas. Serão abordados diferentes aspectos do roteiro, como a narrativa elaborada para um outro olhar (roteirizar para outros), a escritura em causa própria (roteirizar para si) e a possível construção do roteiro documental (como e quando é possível uma estrutura). Em cinco blocos, de quatro horas cada, o roteirista/diretor propõe uma série de reflexões para, a partir delas, estabelecer vínculos criativos com os participantes da oficina, dando-lhes lastro para a construção de narrativas.

 

Hilton Lacerda

É autor dos roteiros dos filmes Baile perfumado (1996), Amarelo manga (2002), Árido movie (2005), Baixio das bestas (2006), A Festa da Menina Morta (2008), FilmeFobia (2009), Estamos Juntos (2011) e Febre do rato (2011) e Big jato (2016). Dirigiu com Lírio Ferreira o documentário Cartola – Música para os olhos (2007) e assina a direção de Tatuagem (2013). Participou como roteirista e diretor de várias séries de TV de veiculação nacional, sendo, a mais recente, Fim do mundo (2016). Atualmente dedica-se à série Lama dos dias.

Oficina: Compondo trilhas sonoras

De 15 a 19 de setembro, das 14h às 18h, no Sesc Gama (SIND QI 1 – Gama)

A partir da história da música para cinema, estrangeira e brasileira, a oficina pretende capacitar nesta atividade tanto músicos, amadores e profissionais, quanto interessados pela produção cinematográfica. Assuntos como direitos autorais e produção musical também serão abordados. Como exercício prático será proposto o desenvolvimento de uma trilha sonora para apresentação na última aula.

 

Mateus Alves

Graduado em música pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE e mestre em composição pela Royal College of Music (Londres), onde também estudou Música para Cinema com o compositor britânico Howard Davidson. Atualmente, leciona no Departamento de Música da UFPE como professor substituto. Desde 2013 trabalha com trilhas sonoras para filmes pernambucanos, como Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, pela qual foi indicado ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2017; e Brasil S/A, de Marcelo Pedroso, pela qual ganhou o Candango no 47º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (2014).

Fale conosco

Ente em contato com o festival.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?