NOTÍCIAS

Voltar

HIV, romance e baixo orçamento: confira o debate desta sexta (30) sobre a Mostra Competitiva 

Neste sábado (30), no Hotel Grand Mercure, foi realizado o último debate da Mostra Competitiva desta 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Na ocasião, foram discutidos os curtas-metragens Sangro e Amor aos vinte anos; e o longa-metragem Volume Morto.

O diretor Tiago Minamisawa explicou a motivação por trás de Sangro. “Quando descobri que o Caio – namorado – estava contaminado, passamos por todo o processo de reflexão e aceitação da doença, e o meu filme serve para estimular que as pessoas expostas ao vírus contaminados tenham uma vida normal, aprendendo a lidar com o preconceito que um dia precisa chegar ao fim”, afirmou Minamisawa.

Na discussão de Amor aos vinte anos, os diretores Felipe Poroger e Toti Loureiro relembraram as escolhas, influências e a satisfação de rodar uma comédia romântica que, além da história, se notabiliza por um cuidado visual, uma assinatura.

O debate sobre Volume Morto, longa dirigido por Kauê Telloli e estrelado por Fernanda Vasconcellos, instigou a plateia, que ficou surpresa ao tomar conhecimento que o filme custou R$ 70.000, uma bagatela se comparado a outras obras, e foi filmado em apenas nove dias.

Em outro momento, foi discutido até que ponto temas como a violência contra a mulher podem continuar sendo retratados, sem serem vistos como estímulo ou propaganda. Além de Telloli e Vasconcelos, os produtores Gabriel Alvim e Bruno Autran participaram do bate-papo com o público. Em resumo, a roda de conversa agradou em cheio. E que venham os debates do Festival de Brasília em 2020.

Crédito da foto: Mayangdi Inzaulgarat

Informações para a Imprensa:

Pelo e-mail: imprensa@festivaldebrasilia.com.br

 

Secretaria de Cultura e Economia Criativa: (61) 3325-6220 / (61) 99344-0500

E-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br

 

Eixos Comunicação Integrada: (61) 98454-2063

E-mail: contato@eixoscomunicacao.com