Júri da Mostra Competitiva - Curta

Cristina Amaral

Cristina Amaral é montadora paulista formada em cinema pela Escola de  Comunicação e Artes da USP.

O primeiro trabalho profissional de montagem foi o curta-metragem Nós de valor, nós de fato (1985), de Denoy de Oliveira.

Trabalhou com vários diretores do cinema brasileiro  e, foi premiada em vários Festivais.

 A partir do filme Alma Corsária, estabeleceu uma longa e profícua parceria com o diretor Carlos Reichenbach, para quem montou 5 longas (Dois Córregos, Bens Confiscados,Garotas do ABC e Falsa Loura)  e vários curtas.

Desde 1997 coordenou junto a Andrea Tonacci- seu companheiro de cinema e de vida,a produtora Extrema Produção Artística. Para ele montou vários filmes, entre outros Jouez Encore (versão reduzida  feita a partir da montagem original de Roman Stulbach)  Óculos Para Ver Pensamentos, Bienal Brasil Século XX, Biblioteca Nacional, Para Ver TV Tem que Ficar Ligado, Benzedeiras de Minas, Serras da desordem , e Já Visto, Jamais Visto .

 

Atividades adicionais :

- Coordenação do Curso de Montagem : “ APRENDER FAZENDO, FAZER PENSANDO” –  junto ao Museu da Imagem e do Som de São Paulo – 2013 / 2014

 

- Supervisão da Montagem dos projetos de curta-metragem de Residência, junto ao Museu da Imagem e do Som de São Paulo - 2013 / 2014 / 2015

 

- Consultoria de Montagem  e Roteiro – Núcleo Criativo CEICINE – 2016 / 2017

 

- Juri Oficial – Cachoeira.Doc – Bahia – 04 a 10.09.2017

 

- Juri Oficial / Documentários  - Mostra Internacional de Cinema de São Paulo-

                                                   20 de Outubro a 01 de  Novembro / 2017

 

- Curadoria – Mostra Retrospectiva do Cinema Brasileiro – Cinesesc / SP –

                      novembro 2017

 

-Juri Oficial – In Edit – junho 2018


Juliana Rojas

Juliana Rojas é diretora, roteirista, montadora e consultora de roteiro. Escreveu e dirigiu diversos curtas e três longa metragens. Dentre seus trabalhos solo, se destacam os curtas "O Duplo" (2012), "Pra eu dormir tranquilo" (2011), "A Passagem do Cometa" (2017) e o longa "Sinfonia da Necrópole" (2014). Em parceria com Marco Dutra, realizou os curtas "O Lençol Branco" (2005) e "Um Ramo" (2007), dentre outros, e os longas "Trabalhar Cansa" (2011) e "As Boas Maneiras" (2017). Foi roteirista das séries "Supermax" (2016) e "3%" (2a. Temporada, 2018). Como consultora de roteiro, participou do Laboratório Novas Histórias 2015, do BRLab de 2015 a 2017 e do Icuman Lab 2015 e 2016. É membro do Filmes do Caixote.


Marcelo Lordello

Marcelo Lordello é cineasta e integrante da produtora pernambucana Trincheira Filmes, com 15 anos de existência e filmes exibidos nos principais festivais do mundo.

Nascido em Brasília em 1981, graduou-se em Comunicação UFPE em 2007, onde iniciou sua carreira  realizando curtas seus e de parceiros. Paralelamente a isso participou de diversos cursos e oficinas de formação na área de audiovisual.


Naná Baptista

Profissionalmente atua na área de cinema, música e produção cultural desde 2005. Como Assistente de Direção, realizou filmes com diretores como André Ristum, José Eduardo Belmonte, Gustavo Galvão e Cristiane Oliveira. Nos curtas que trabalhou, pôde exercitar toda sua expertise adquirida nos diferentes departamentos, da técnica à produção. Foi premiada pela direção do curta experimental Pequenina com o prêmio-destaque Contribuição Artística (15º FBCU, 2010), e como montadora, com o de Melhor Montagem pelo Rotina Matinal (Festival CLOSE, 2010). Foi Coordenadora de Produção da mostra Um Outro, Eu Mesmo – Variações Sobre Gênero no Cinema, e produziu mostras retrospectivas de diretores. Tem participado ativamente no desenvolvimento de projetos culturais de cinema, música e design.


Rafael Urban

Rafael Urban é diretor de cinema e produtor baseado em Curitiba, Brasil. Seus filmes foram apresentados em 27 países, em eventos como Locarno, Chicago e Brasília. Ovos de Dinossauro na Sala de Estar (2011) foi exibido em 140 festivais e escolhido como Melhor Curta do 66º Festival de Edimburgo. Seu trabalho seguinte, A que deve a honra da ilustre visita este simples marquês? (2013), recebeu três prêmios no 46º Festival de Brasília. O Touro (2015), dirigido por Larissa Figueiredo, é seu primeiro longa como produtor e estreou no 44º Festival de Roterdã. Sua empresa, a Sto Lat Filmes, dirige o Núcleo Criativo Aqui e Lá, que desenvolve os roteiros de cinco primeiros longas sob a tutela da argentina Lucrecia Martel e do brasileiro Karim Aïnouz. Rafael é professor na EICTV, em Cuba.