Inferninho

Direção: Pedro Diógenes e Guto Parente

Ficção, CE, não finalizado

 

Deusimar é a dona do Inferninho, bar que é um refúgio de sonhos e fantasias. Ela quer deixar tudo para trás e ir embora, para um lugar distante. Jarbas, o marinheiro que acaba de chegar, sonha em ancorar, fincar raízes. O amor que nasce entre os dois vai transformar por completo o cotidiano do bar e a vida de seus funcionários: Luizianne, a cantora, Coelho, o garçom, e Caixa-Preta, a faxineira.

 

Pedro Diógenes realizou O último trago (melhor montagem, fotografia e atriz coadjuvante no 49º Festival de Brasília), Com os punhos cerrados (melhor filme no Transcinema do Peru, no Cineb do Chile e no Santa Maria da Feira em Portugal em 2014) e Os monstros (premiado no BAFICI, Argentina, em 2011). Guto Parente realizou sete curtas e seis longas, exibidos em importantes festivais internacionais como Locarno, Rotterdam, Viennale, BAFICI, AFI, entre outros.

Fale conosco

Ente em contato com o festival.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?