Filmes da Mostra Competitiva de quarta-feira abordaram a violência

O dia ainda contou com a abertura da programação do Ambiente de Mercado

 

A violência – explicita e velada, foi tema central das produções exibidas na noite de quarta-feira (20) do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Os filmes apresentados foram: “Tentei” (2017, 15 min, PR, 14 anos), de Laís Melo; e “O nó do Diabo” (2016, 124 min, PB, 16 anos), de Ramon Porto Mota, Gabriel Martins, Ian Abé e Jhésus Tribuzi. A sessão foi apresentada por Chico Sant’anna e Sérgio Sartório.

 

Acompanhada da equipe do curta-metragem “Tentei”, a diretora Laís Melo agradeceu a presença no Festival de Brasília e aproveitou a polêmica da violência doméstica para reivindicar um lugar de fala às mulheres. O enredo é construído em torno de Glória, de 34 anos, que parte em busca de novo lugar após sofrer abusos em seu casamento. A cineasta é uma das organizadoras do Curso de Comunicação Popular do Paraná, militante do Levante Popular da Juventude e da Via Campesina. Também atua como produtora e educadora popular do Projeto CineSol, um curso continuado de cinema para jovens aquém das políticas públicas culturais.

 

O longa “O nó do Diabo” trouxe para a Mostra Competitiva cinco contos de horror que se passam em uma fazenda. “Cinco encontros com a morte. Um nó que não se desata”. Gabriel Martins atua como roteirista, fotógrafo, diretor e montador. Dirigiu 12 curtas-metragens, entre eles, “Nada”, selecionado para a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes em 2017. Ian Abé, Jhésus Tribuzi e Ramon Porto Mota são sócios da Vermelho Profundo, onde são produtores, roteiristas e diretores e com a qual realizam curtas como “Mais denso que sangue” e “O desejo do morto”.

 

Pela Mostra Brasília, com votação do júri popular, foram exibidos:  “Afronte” (16 min, Livre), de Marcus Azevedo e Bruno Victor; “Habilitado para morrer” (19 min, 14 anos), de Rafael Stadniki; “A inviolável leveza do ser” (2 min, Livre), de Júlia Zakarewicz; e “Jeitosinha” (90 min, 12 anos), de Johil Carvalho e Sérgio Lacerda.

 

Durante o dia, ainda foi realizada a abertura do Ambiente de Mercado. A iniciativa faz parte da programação da 50ª edição do Festival de Brasília e promove diálogos com produtores, programadores, agentes de vendas, distribuidores e exibidores. As atividades seguem até sexta-feira (22), consolidando o FBCB como polo articulador de políticas regionais e nacionais para o audiovisual.

 

Patrocínio

A 50ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro conta com os seguintes patrocinadores: NET, Claro, Petrobras, BRB, BNDES e Sabin.

 

Serviço

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – 50ª edição

Quando: 15 a 24 de setembro de 2017

Programação completa: http://www.festivaldebrasilia.com.br/

Fotos: https://www.flickr.com/photos/152011896@N03/albums

Fale conosco

Ente em contato com o festival.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?